Google+ Badge

quarta-feira, 21 de dezembro de 2011

INCONSCIENTE UNIVERSAL-DEUS




Será o humano, mediador do inconsciente pelo consciente, chegando por insights (estar dentro de si mesmo) a o que chamo de “meaning states of mind”?

meaning states of mind

Definição aproximada: um estado de significância, de sentido para a totalidade da vida, que ocorre da mesma forma e paralelamente ao insight. No budismo japonês (Zen) é chamado de Satori, para Freud e outros há outros nomes.

A possibilidade de constância em um meaning state of mind, durante um longo momento da vida, é o que chamamos de ser iluminado.

Também é significativo o sentido da palavra, iluminado, pois a luz é o estado oscilante entre onda e matéria, e esta oscilação é o que provoca (move, emociona) o universo visível.

Existe a necessidade de uma margem (fronteira-boundarie) que pode ser permeável como a membrana de uma célula nas trocas com o meio para que o ser-aí, o existente, o eu-ego, não se dissolva

Um mínimo de eu ( mínimo eu) necessita existir para a transmissão (como na acústica o ar)
da informação, mediada pela palavra: diálogo

29/06/2011

Caráter



Estou esperando
a fonte derramar

Aguardo o fio d'água

O peixe está dentro
e olha para o céu

Do blog Mirabilia de Laura Botelho



terça-feira, 12 de outubro de 2010
Conexão coração - cérebro


O coração foi definido pela ciência antiga como uma bomba cuja função é a de distribuir sangue a todas as áreas do organismo vivo. Mas para quase todas as culturas antigas no planeta, esse mesmo coração tem um papel mais importante do que simplesmente bombear sangue, ele é a fonte de sabedoria inconsciente para todas as experiências de nossa vida.

Pesquisa recentes do Instituto de HeartMath mostra que um dos mais poderosos fatores que afetam a mudança do ritmo do coração são os nossos sentimentos, emoções e as percepções sobre essas emoções.

Aprendemos na escola que o coração recebe constantemente sinais neurais enviados pelo cérebro. Mas hoje cientistas atestam que o coração envia mais sinais para o cérebro do que o cérebro envia ao coração!

Além disso, esses sinais cardíacos têm um efeito significativo sobre a função do cérebro, que influenciam no processamento emocional, bem como as faculdades cognitivas superiores, tais como atenção, memória e resolução de problemas.

Em outras palavras, não só o coração responde para o cérebro, mas o cérebro responde de forma contínua para o coração.

Durante o estresse e emoções negativas o padrão do ritmo cardíaco é irregular e desordenado, um padrão correspondente de sinais neurais que viajam do coração para o cérebro inibe funções cognitivas mais elevadas.

Isso ajuda a explicar por que muitas vezes agimos de forma impulsiva e imprudente quando estamos sob stress.

Em contrapartida, se estivermos equilibrados e estáveis em estados emocionais positivos o efeito é contrário, facilitando a função cognitiva, reforçando os sentimentos já positivos e uma estabilidade emocional.

Isso significa que o aprendizado para gerar a coerência do ritmo cardíaco acelerado, sustentando as emoções positivas, não só beneficia o corpo inteiro, mas também afeta profundamente o modo como percebemos, pensamos, sentimos e executamos nossas ações.

Nosso coração sabe o que diz

Como discernimento espiritual, pensamento e emoção, o nosso coração é muito mais que uma ferramenta metafórica em textos de poetas. A ciência moderna está ampliando a cada dia o papel importante que esse órgão desempenha nas nossas vidas em especial a Neurocardiologia.

A Neurocardiologia descobriu que o coração possui seu próprio e intrínseco sistema nervoso em uma rede de nervos tão sofisticado quanto funcionalmente para ganhar a descrição de um "cérebro e coração."

Contendo mais de 40.000 neurônios, "essa mente em menor escala” dá ao coração a capacidade de processar informação de forma independente do cérebro, tendo senso, tomando decisões, e até mesmo demonstrando um tipo de aprendizado e memória.

O coração é um sistema inteligente.

Ele também atua como uma glândula hormonal que fabrica e secreta hormônios e numerosos neurotransmissores que afetam profundamente o funcionamento do cérebro e do corpo.

Entre esses hormônios destaca-se a ocitocina, velho conhecido do "amor" ou mais popularmente como "hormônio da união."
O coração é um componente chave no sistema emocional, não só respondendo a imediata emoção (quando ele dispara), determinando a qualidade da nossa experiência emocional de momento a momento. Isso se dá na percepção do impacto e função cognitiva em virtude da rede de comunicação com o cérebro - se ele dispara por medo ou por alegria.

Estudos eletrofisiológicos realizados no Instituto de HeartMath indicaram que o coração parece desempenhar um papel fundamental na intuição.

Teste com várias pessoas mostraram que no toque, na proximidade de corpos há uma transferência da energia eletromagnética produzida pelo coração. Essa transferência de sinal parece depender da distância entre os indivíduos.

O efeito foi evidente quando as pessoas se tocavam ou foram postas a 18 centímetros de distância. Quando os voluntários foram separados por uma distância de 4 metros o processo de sinais era interrompido. Interessante no estudo foi que no uso de luvas de isolamento não houve transferência de energia, assegurando a importância do contato pele a pele.

O campo eletromagnético do coração diminui em coerência elétrica quando um indivíduo se torna frustrado ou com raiva. Estados emocionais positivos como sincero amor, cuidado e gratidão aumentam o campo eletromagnético sensivelmente.

Foi observado em estudos que pacientes hospitalizados com problemas cardiovasculares que não foram tocados atenciosamente, com um toque “Terapêutico”, apenas mecânico, apresentaram um decréscimo maior na qualidade do pós tratamento.

Já os pacientes que receberam atenção, uma intervenção acentuada dos enfermeiros na ajuda para confortá-lo, tiveram um aumento sensível na recuperação no pós tratamento.

Nossas emoções têm a capacidade de afetar pessoas de nossa proximidade.

Se o campo eletromagnético gerado pelo nosso coração, na verdade, tem a capacidade de afetar significativamente os que nos rodeiam, as implicações disto seriam claras nas interações terapeuta-paciente.




Observe que para essa troca de energia, não só a força da intenção de ajudar ao retorno do equilíbrio vibratório (cura) do paciente irá contar, mas que principalmente haja uma relação mútua entre o profissional e doente.

A troca de energia cardíaca descrita aqui pode ser influenciada não só pelo grau de coerência do sinal transmitido (o que, por sua vez, pode depender do estado emocional da fonte e intenção), mas também pelo grau de receptividade do receptor ao sinal.

O impacto desses estudos constata o que nós já sabíamos intuitivamente, mas não podíamos provar. As alterações no campo cardíaco impactado por diferentes emoções são registradas fisiologicamente. Uma percepção de destaque por aqueles que nos rodeiam, o que vem comprovar ao longo da experiência humana, o quanto nosso coração sofre quando não damos a devida atenção a sua intuição.

O toque facilita o intercâmbio de energia cardíaca entre indivíduos. Isto dá um novo conceito no contato como o primeiro meio fundamental de comunicação e facilitador nas interações humanas.

Quando temos sentimentos de agradecimento, alegria, atenção e amor, nosso padrão de ritmo cardíaco torna-se altamente ordenado, sincronizado, trocando energia harmoniosa, como uma suave onda que envolve todo o sistema orgânico dando maior eficiência na execução do trabalho de homeostase – o nome que cientistas dão a isso = coerência padrão de ritmo cardíaco.



Coerência não é relaxamento

Um ponto importante é que o estado de coerência é tanto psicologicamente quanto fisiologicamente distinto do estado alcançado através de mais técnicas de relaxamento.

Coerência é associada a um aumento relativo da atividade parassimpática, um aumento da harmonia e sincronia no sistema nervoso e a dinâmica - coração - cérebro

Relaxamento é um estado de baixa energia, no qual o indivíduo descansa o corpo e a mente, normalmente desapegando-se de processos cognitivos e emocionais. Em contraste, a coerência geralmente envolve a participação ativa de emoções positivas.

O Papel da Respiração

Outra distinção importante envolve a compreensão do papel da respiração na geração de coerência porque padrões respiratórios modulam o ritmo cardíaco, é possível gerar um ritmo cardíaco coerente simplesmente por respirar lenta e regularmente a um ritmo de 10 segundos (5 segundos na inspiração e 5 segundos na expiração).

Respiração ritmada desta forma pode, portanto, ser uma intervenção útil para iniciar uma mudança de estado emocional de estresse e para uma maior coerência.

Uma série de estudos recentes, em todos os campos do conhecimento humano, nos forçará a rever e alterar a história e ciência. Estar aberto a essas mudanças dará a você um melhor entendimento de como funciona sua mente e conseqüentemente seu organismo.

Perceba como andam seus pensamentos. Aquiete seu coração. Dê a ele mais alegrias apenas vibrando de maneira coerente com o que você diz, faz e pensa.

terça-feira, 20 de dezembro de 2011

Do it






Do it


As much as


you can


quarta-feira, 14 de dezembro de 2011

MATRIX








É bom que a gente tenha se encontrado

O que acontece é que tenho dois discursos distintos em meu ser,
e uma forma de contextualizá-los.

O fazer para mim também requer
o estar inserido a um meio normal,
casa, filhos, comunidade religiosa , trabalho.




Neste movimento físico eu me movimento
em uma situação evolutiva e dinâmica,
que minha mente propôe-se a refletir e conceituar.

que capta e classifica situações.

Este não é o eu que é eu.

O eu que é eu não está no espaço e tempo,
trabalha em outra dimensão,
que de tempos em tempos,
como acontece agora com você,
tem necessidade de traduzir o sentimento ou visão interior.

A visão interior, o mundo interior
é muito difícil de se traduzir.

Se falássemos em termos quânticos,
é e não é, ao mesmo tempo.

Jesus para mim é e não é.

Ele ou o Cósmico,
para mim,
age
para designar o todo relacional.

Não é para mim uma idealização ou alucinação,
é uma forma que o Cosmos/Deus
encontrou em minha vida para traduzir-se
na relação

O ponto todo do "aceitar a Jesus" para mim
é traduzir o Cosmos em um ser,
e dialogar com ele.


Poderíamos falar em mestres ascensionais
ou outras canalizações.

Poderia dizer que "uso" o termo Jesus.

O que é mais fantástico
é descobrir o Jesus histórico ,
suas implicações e desdobramentos na história humana
até os dias de hoje
e relacionar esta vida histórica



a uma identidade única e fantástica para sua época.
Um ser relacional

Isto me faz, "canalizar",
sintonizar,
ter Jesus
como mediador do meu discurso.

Você não precisa "ter fé" em Jesus.
você tem fé,
e isto basta.

Eu tenho fé,
e me dirijo ao Cosmos
relacionalmente
na pessoa de Jesus.

"Um amigo invisível" como acontece com crianças?

Talvez.

Mas me sinto bem ao saber ,
para mim,


ao crer para mim,
que o Cosmos se torna personalidade,
e se relaciona,
é relacional.

É fácil ter Jesus
nesta forma de representação do Cosmo

quando se conhece
que Deus é relacional,
que o Espírito Santo
é a representação
do diálogo Pai-filho


Somo dois indivíduos que não se conhecem,
a 2 mil anos atrás,

perseguidos,
que para saberem se um e outro

eram seguidores confiáveis,
sem serem mortos,
faziam um sinal no chão.

Estamos montando este sinal no chão,
quer você "aceite Cristo" ou não.


A vida na ética cristã é o que você praticou,
Isto é o que importa.

Se você se sente aceita e acolhido pelo Universo
pode dar a ele o nome de Jesus.
Só isto.
Então Universo é relacional.

O sentido da vida não é uma frase
ou um slogan que aparece.
O sentido da vida
é sua resposta
ao que a vida pede a você.

Você encontrou o sentido de sua vida,
pois respondeu ao que a vida pediu a você,
e respondeu com toda a sua alma,
todo o seu coração.

E a vida te agradece desta forma,
como encontrar a mim num ser relacional,
um eu tangível,
longe de conversas vãs.

A vida me agradece
em contato

com você.
























Eu tenho tempo



Muitas vezes acontece comigo.
Por muito tempo busquei e pesquisei.
Acreditava que iria encontrar a resposta
e não sabia o que me levava a perguntar.

Encontrei muitas coisas interessantes também,
mas percebi que as pessoas que 'explicavam" tudo
de alguma forma tinham vivido uma experiência pessoal
e eu estava apenas recebendo de segunda mão.

Eu não desisti de ler, assistir ou ouvir,
mas tudo se tornou de uma forma "mais do mesmo".

Agora, nesta época em que vivo,
posso dizer que tenho uma experiência pessoal com alguma coisa,
que eu chamo de Deus.

Ele não responde perguntas como num livro,
mas me coloca, ou eu me coloco, em um estado
que permite ver o dia passar,
repetindo-se a cada dia,
e não ter muitas perguntas sem resposta.

As perguntas vão se afunilando
eu percebo que minha mente
fica mais alerta para uma pergunta em especial:

porque vivo.

Estar alerta para a pergunta existencial
é parte da resposta.

Vejo passar na minha mente
infindáveis memórias,
que não me arrastam mais para o poço.

Sinto que não há resposta objetiva,
não mais do que o meu avô deu para sua vida:

"A gente nasce, vive e morre.
No meio tempo trabalha, casa
e tem filhos"

Não aceitava esta resposta quando ele me deu.
Mas aos poucos aparece uma sabedoria profunda.
Ele descobriu este sentido aos 9 anos de idade,
depois foi viver a vida.

Quando olhamos parece simplista.
não pode ser aquilo que procuramos.
Mas a sabedoria parece que é esta atitude simples,
esta aceitação de uma vida
que serve
para experimentarmos.

Parece mais do mesmo
Mas não é.

Adquire um outro sabor
se você aceitar algo de tudo que viveu.

Lembre-se de que cada gota,
cada pensamento,
cada ação
contém o todo.

Toda a ação pelo outro
já salvou uma vida

e quando você salva uma vida
salva a humanidade

Talvez você tenha
que abandonar o telescópio por um tempo
para usar o microscópio.

Ver o todo no mínimo,

depois o quebra cabeça
vai tomando sentido
de novo.

É só uma sugestão.

À Mi, com carinho





Deus seja louvado.

Ele abre caminhos,
trás portas e janelas

Trabalha ao teu lado
Lhe dá apoio
sustento
dignidade

Te recebe entre os seus

E coloca um diadema
em tua fronte

Bela princesa,
começa teu castelo

Você se preparou
trinta anos para isto

Tudo foi um aprendizado
para este momento

Percebe como a teia
de ligações,

Se reestabelece?

Percebe como a urgência de uma resposta
Trouxe a ugência de Deus
Em te acomodar
em um lugar que é teu?

Abençoada Maria

És abençoada entre as mulheres

Cuida dos pequeninos
como uma filha amada

Trás alívio ao coração do próximo
e ao teu também

Amém

sábado, 26 de novembro de 2011

Hoje foi um bom dia


. Dia de criar raízes mais profundas,
de saber que a árvore só estabelece
raízes mais sólidas
quando procura água.
E se houver pouca
ela vai cada vez mais fundo,
solidificando as bases.

Quando encontra a água
as bases já estão sólidas
Sólidas o bastante
para que a copa seja exuberante.
Enfim, para que serve a vida não é?

Experimentar e experimentar, sorrir nas dificuldades.

Oração dos índios Sioux norte-americanos






Oh, Grande Espirito,
cuja voz eu ouço nos ventos,
e cujo alento doa vida para todo o mundo,
ouça minha súplica.

Eu sou pequeno e fraco.
Eu preciso de sua força e sabedoria.
Me permita andar na beleza e faça meus olhos sempre contemplarem as cores do por-do-sol.

Faça as minhas mãos respeitarem as coisas que você criou e faça meus ouvidos ficarem aguçados para que eu possa ouvir sua voz.

Faça-me sábio para que eu possa entender as coisas que você ensinou para meus antepassados.
Permita-me aprender as lições que você escondeu em cada pedra e folha.

Eu procuro força, não para ser maior que meus irmãos e irmãs,
mas para lutar contra meu maior inimigo - eu mesmo.

Faça-me sempre pronto para chegar até você com as mãos limpas e com os olhos firmes.

Para que, quando a minha vida desapareça igual a um por-do-sol, meu espírito possa ir até você sem nenhum traço de vergonha.

sábado, 12 de novembro de 2011

Você teria mesmo dificuldade em imaginar a experiência que eu vivi.

É caótica e bela ao mesmo tempo.
Ouso dizer que, se fosse um dia em que encontrasse Deus
Eu pediria para assistir minha vida sem mudar
Mas comigo editando e inserindo as imagens internas na narrativa.

É uma vida tão grandiosa, no sentido da simplicidade da alma
que não se esgota no tempo.
Minha vida é uma obra
Ela acabará um dia
como o fim de um poema ou um filme.

Poderia até acabar com os letreiros passando
com as cenas de erros

Ou no silêncio de uma tarde de inverno
como em um filme francês

Minha vida tem trilha sonora

Ator principal e coadjuvante

Tem a mocinha e o cavalo

Tem guerra e paz

Minha vida
é um monumento
num momento
da eternidade


Shanti

quarta-feira, 10 de agosto de 2011








Eu caminho em minhas verdades.

Que sei de minhas verdades?

Algo que me encanta e reconheço
a algo que é a mim mesmo.

Mas como sei que o encanto não passa de um vago engano?

Como sei ter certeza, se a certeza flui como uma seta
atingindo um vago infinito?

Sem lógica ou categoria

Certo diria eu,
para o que é certo

Mas para mim

Nada é certo,
e não acerto

Estou porém afirmando
algo que não posso afirmar

Infinito pensamento desvairado

incerto

Bem perto

domingo, 31 de julho de 2011

UNIVERSO REALISTA

Daqui observo tudo

Eu entendo vocês
Tenho apreço
por seu conhecimento


Planeta estranho
e confuso
nada tão obtuso

Porém na dúvida
Não os destruo

Absurdo
Pasmém

Altivo ou insignificante


Vocês se levantam

e agem para o próprio bem


Vêem a mim
Porém?

quinta-feira, 21 de julho de 2011



Teias de aranhas
Não são tão estranhas

Quantos de nós
não somos
Aranhas

Tecendo
no Espaço

Um laço
Trabalhando Relações


No escropo do martelo

Trabalhamos a relação

Teias
Cadeias

Uma nova união

Quem somos
depois de tudo?

Fico mudo

Minha mente
em silêncio


Observa a criação

terça-feira, 19 de julho de 2011

Meaning States of Mind

Meaning states of mind

Rest selfless in

the sky


Should we say we know


Wherever would they go?




Meanin setates of mind


no matter what they are



We know

we are never alone


In the beautiful sky

terça-feira, 17 de maio de 2011







Gliese 581d: Primeiro exoplaneta habitável
Redação do Site Inovação Tecnológica - 17/05/2011



A chamada "zona habitável" em torno das estrelas representa a faixa de distâncias em que os planetas não são nem muito frios e nem muito quentes para que a vida possa florescer, com uma temperatura suficiente para manter a água em estado líquido. [Imagem: Franck Selsis/CNRS/ESO]
Zona habitável

O sistema planetário em torno da anã vermelha Gliese 581, uma das estrelas mais próximas do Sol, tem sido objeto de vários estudos com o objetivo de confirmar a detecção do primeiro exoplaneta potencialmente habitável.

Desde que o sistema revelou o exoplaneta mais parecido com a Terra, em 2007, até a proposição de que o Gliese 581g estaria bem no centro da zona habitável, em 2010, todos os candidatos à posição de "primeiro exoplaneta habitável" têm sido descartados por observações subsequentes.

Agora, contudo, um grupo de cientistas do Instituto Pierre Simon Laplace, da França, acredita ter encontrado indícios suficientes para demonstrar que o Gliese 581d pode ser considerado o primeiro exoplaneta capaz de abrigar a vida como ela existe na Terra.

A chamada "zona habitável" em torno das estrelas representa a faixa de distâncias em que os planetas não são nem muito frios e nem muito quentes para que a vida possa florescer, com uma temperatura suficiente para manter a água em estado líquido.

Extremos climáticos

Embora o Gliese 581g parecesse estar em uma posição privilegiada dentro da zona habitável, várias equipes questionaram a sua detecção - ou seja, ele pode simplesmente não existir, sendo resultado de ruído nas medições ultra-finas do "balanço" estelar, necessárias para detectar exoplanetas nesse sistema.

Então a atenção se voltou para o Gliese 581d.

Inicialmente ele foi considerado longe demais da estrela - e, portanto, frio demais para a vida. Ao contrário, análises posteriores mostraram que, se o planeta tivesse oceanos líquidos como a Terra, eles evaporariam rapidamente, em um efeito semelhante ao que deu a Vênus o clima quente e inóspito que tem hoje.

Mas Robin Wordsworth e seus colegas do Laboratório de Meteorologia Dinâmica, em Paris, discordam dessas análises.

Simulação atmosférica

Embora seja provavelmente um planeta rochoso, o Gliese 581d tem uma massa de pelo menos sete vezes a da Terra e cerca de duas vezes o seu tamanho.

O maior problema, contudo, é que, além de receber menos de um terço da energia solar que chega à Terra, ele parece ter uma "órbita travada", com um lado permanentemente dia e o outro permanentemente noite - os dados não são precisos o suficiente para uma conclusão definitiva e pode ser que o planeta gire muito lentamente.

Com isto, a crença geral era que, qualquer atmosfera espessa o suficiente para manter o planeta aquecido, ficaria fria o suficiente no lado noturno para congelar por completo, arruinando qualquer perspectiva de um clima habitável.

Para testar essa hipótese, Wordsworth e seus colegas desenvolveram um novo tipo de modelo computacional capaz de simular com maior precisão o clima de um exoplaneta.

O modelo simula a atmosfera e a superfície de um planeta em três dimensões, de forma parecida com os usados para estudar as mudanças climáticas na Terra.

No entanto, o simulador é baseado em princípios físicos mais fundamentais, permitindo a simulação de uma gama muito mais ampla de condições, incluindo qualquer coquetel atmosférico de gases, nuvens e aerossóis.



Modelo climático global do Gliese 581d. Tons vermelho/azul indicam temperaturas quentes/frias, enquanto as setas indicam velocidades do vento a 2km de altitude. [Imagem: LMD/CNRS]
Céu azul e céu vermelho

Para sua surpresa, os pesquisadores descobriram que, dada uma atmosfera de dióxido de carbono densa o suficiente - um cenário provável em um planeta tão grande - o clima do Gliese 581d não somente é estável, mas quente o suficiente para abrigar oceanos, nuvens e chuva.

Um dos fatores-chave nos resultados foi o chamado espalhamento Rayleigh, o fenômeno que faz com que o céu da Terra seja azul.

No Sistema Solar, o espalhamento Rayleigh limita a quantidade de luz solar que uma atmosfera espessa pode absorver, porque uma grande parte da luz azul que se dispersa é imediatamente refletida de volta ao espaço.

No entanto, como a luz da estrela Gliese 581 é vermelha, ela praticamente não é afetada no Gliese 581d.

Isto significa que a luz pode penetrar mais profundamente na atmosfera, aquecendo mais o planeta devido ao efeito estufa da atmosfera de CO2 e ao efeito das nuvens de gelo de dióxido de carbono previstas para se formarem a altas altitudes.

Além disso, as simulações da circulação 3D indicaram que o aquecimento diurno é eficientemente redistribuído por todo o planeta através da atmosfera, impedindo o colapso atmosférico no lado noite ou nos pólos.

Telescópios do futuro

O resultado entusiasmou ainda mais os cientistas porque, a 20 anos-luz da Terra, o Gliese 581d é um dos nossos vizinhos galácticos mais próximos. Isto significa que os telescópios do futuro poderão ser capazes de detectar a atmosfera do planeta diretamente.

Embora esta simulação indique que o Gliese 581d possa ser habitável, há outras possibilidades.

Por exemplo, ele poderia ter mantido uma parte do seu hidrogênio na atmosfera, como Urano e Netuno, ou os fortes ventos de sua estrela poderiam ter varrido sua atmosfera inteiramente nos primórdios de sua formação.

Para detectar esses diferentes cenários, o grupo elaborou uma série de testes simples que os astrônomos deverão realizar no futuro, quando contarem com um telescópio suficientemente poderoso.

Geocentrismo

Se o Gliese 581d for realmente habitável, ainda assim ele seria um lugar bastante estranho para se visitar - o ar denso e as nuvens espessas manteriam a superfície em um crepúsculo vermelho escuro perpétuo.

Além disso, sua grande massa significa que a gravidade na superfície é de cerca de duas vezes a gravidade na superfície da Terra.

No longo prazo, contudo, a mais importante implicação desses resultados pode ser a ideia de que os exoplanetas capazes de suportar a vida na verdade não precisam ser assim tão parecidos com a Terra.

sexta-feira, 29 de abril de 2011


WILKERSON
WEDNESDAY, APRIL 27, 2011
WHEN ALL MEANS FAIL
To believe when all means fail is exceedingly pleasing to God and is most acceptable. Jesus said to Thomas, “You have believed because you have seen, but blessed are those that do believe and have not seen” (John 20:29).
Blessed are those who believe when there is no evidence of an answer to prayer—who trust beyond hope when all means have failed.
Someone has come to the place of hopelessness—the end of hope—the end of all means. A loved one is facing death and doctors give no hope. Death seems inevitable. Hope is gone. The miracle prayed for is not happening.
That is when Satan’s hordes come to attack your mind with fear, anger, overwhelming questions: “Where is your God now? You prayed until you had no tears left. You fasted. You stood on promises. You trusted.”
Blasphemous thoughts will be injected into your mind: “Prayer failed. Faith failed. Don’t quit on God—just do not trust him anymore. It doesn’t pay!”
Even questioning God’s existence will be injected into your mind. These have been the devices of Satan for centuries. Some of the godliest men and women who ever lived were under such demonic attacks.
To those going through the valley and shadow of death, hear this word: Weeping will last through some dark, awful nights—and in that darkness you will soon hear the Father whisper, “I am with you. I cannot tell you why right now, but one day it will all make sense. You will see it was all part of my plan. It was no accident. It was no failure on your part. Hold fast. Let me embrace you in your hour of pain.”
Beloved, God has never failed to act but in goodness and love. When all means fail—his love prevails. Hold fast to your faith. Stand fast in his Word. There is no other hope in this world.
POSTED BY DAVID WILKERSON

quarta-feira, 20 de abril de 2011

Penso em um ser interno,
um excluído,
brutalizado pelo ego

O imperialismo interno
é mais pesado
do que o externo

Faz de nós vítimas e algozes

Dentro da mesma caixa
craniana

Penso na atenção e no cuidado

daquele esfaimado
que na dor de não poder ser
entrelaça na cortina
o fio e a linha

Penso talvez
No desprezo
de quem se julga ser

Penso na altivez
na embriagues
do poder oculto
que o Verbo abomina

Penso precisamente na menina
naquela que quer dizer

Mais além de um não,
ou para depois

sim

Penso a dois

domingo, 10 de abril de 2011

Carregando as configurações pessoais

Quando abro meu computador, a primeira obra que aparece em minha tela pessoal, meu ser, é o carregamento das configurações pessoais.
Todo dia, inexoravelmente, minha tela se expande e absorve a maior parte do que de pessoal carrego, do que processei, trazendo com ela ícones para passagens interiores, algumas delas nunca navegadas.
Meu silencioso organismo, que de tempos em tempos,
pensando em estalidos,
muitas vezes tenta me ajudar, (ajudar?)
sugerindo que eu limpe automaticamente estas janelas
que não abro em minha configuração pessoal.

A tela absorve tudo que algum dia foi colocado por alguém.
Alguém que o criou, que me criou,
seja onto ou filogeneticamente.

Eu percebo em mim mesmo
a hesitação em entrar nestas janelas ignoradas.
O que poderiam me trazer de novo?
Seriam absurdamente pavorosas no meu desconhecimento de mim mesmo,
levando a programas inseridos,
que não conseguiriam comunicar
o que o ícone tão belamente apresenta no écran?

Olho sempre para os mesmos ícones,
imagens reveladas de meu inconsciente,
mas não ouso abri-los

Muitos dos que não abro, tenho conhecimento de onde me levam.
Mas não uso por puro descaso.
Há sistemas antigos e bem construídos, que utilizo freqüentemente, claro!
e que me enfadam no praticar a rotina da revelação diária.

Porque não abrir estes links, penso eu?

Porque seria absurdo ter que realmente renovar meu sistema,
trazer novas tarefas a este processador tão estressado?
No último ponto de seu estoque de memória
e defasado em anos na velocidade da nova geração?

Subtraio-me ao próprio sistema que me formatou,
ao não utilizar o que foi colocado.
Não porque foi colocado,
mas porque está ali,
e o fato de estar aí traz para mim
o desejo oculto
de revelar
o que faço
quando carrego
minha configuração pessoal.

Se não fosse este desejo de mudança,
por que mudaria tão freqüentemente
meu tema de plano de fundo?

“Um tema é um plano de fundo e um grupo de sons, ícones e outros elementos que o ajudam a personalizar o computador em um só clique”
Meu computador inconscientemente me responde.
Em propriedade.
No absurdo de ser
Mais consciente do que eu

Revela então neste diálogo de esfinge
E tenta me induzir a pensá-lo como ser
Não como coisa

A tela mental abre-se em mim

Buber
Buber, Martin
Não preciso a Wikipedia para
Acessá-lo

Seu ser está em mim
Em outro espaço-tempo

Em outra direção
De configuração

No hiperlink espacial

Buber é Buber?
Ou a representação de Buber?

Buber é o que deixou
ou o que
Está-aí?

Sinto o drama

Ecoa do coro
Grego

Da tragédia primeva
Onde o processador zune

Ops...

Abri o hiper-link

Devo fechá-lo logo

Antes que as Galáxias e constelações elementares
De um suposto arquétipo

De um suposto códice

De um suposto

Jung

Revele novamente a distração

Entre ser e existir

No sábio conforto da casa
Midle class

Da família burguesa

Da infinita sociedade moderna
Finita no tempo de hoje

Reproduzindo a modernidade
De cem anos atrás

Contemporânea como as pirâmides

Na promiscuidade de idéias
De um tempo não gerado

UFFFFFFF



Sensentido

Sentei-me ao objeto cadeira

Tão equilibrado na explicação de matéria e objeto
Dos filósofos de plantão

Plantão eu disse
Não Platão

Absurdos pensam vocês

Vocês lêem realmente o que escrevo?

Claro1
Digo: !

Disse isto de 1 por lampejo de 1
Ou porque escorreguei a mão?
Ato falho
Ou o ato falho é de quem criou o teclado?
Ao criar o 1 com !
Junto com o ¹
na mesma tecla ??/°

Caso contrário,
(casos contrários teimam meu revisor...)
não teriam chegado a este ponto.

Mas aonde iriam afinal daqui para frente

Para o poente e o ocaso da crítica?

Para a determinação de clicar no ícone e fechar a abertura do
Link/?°

Tenho duvidas...

-Você também tem dúvida?

Ótimo!

Somos dois, mas o autor esta no meio

Como diria Buber

-Buber novamente...

-E ele era filósofo
Veja na Wikipédia

É fácil acessar...

Click neste botão direito e ausente-se por um espaço-tempo
Algo indescritível
Quando há ausência de espaço e tempo

Tentando discriminar
O que é nonsense
Crítica da pura razão
Na aparente falta de racionalidade
Num texto tão profundamente

Pró
Funda
A mente
absurdo

Há não ser que viole
Tenha tido acesso
Ou interesse pelo menos
Em acessar
Minha configuração pessoal

-Clicou?

Basta

Já nos vemos amanhã

Porque esta manhã nasceu em um domingo

Que é um dia especial

Disse o dramaturgo da novela

Disse isto porque domingo não tem novela,
coisa louca que diz tudo
e esconde de todos o que diz

Trás em ti
Esta potência de afirmar
Que a crítica do autor
Ausenta o autor
Da crítica?

Trás o absurdo de ser sincero

Fazendo gargalhadas
E piruetas
No ar
Em voz e palavras que não contém
No âmago
Algo que só pode ser traduzido
Por dentro do meio?




-Crítica sincera penso eu

Dialogando com mim mesmo...


Como poderia o absurdo de um écran vazio.
Num hiperlink desgovernado
Sem uma tabela de algoritmos
Trazer uma identificação no outro que
Traduz o escrito em sua tela mental
E procura
Decifrar o que está exposto com alguma razão?

-não há razão sofrida
que não vivida
Não traga razão
Ao irracional.

Pudera que dialogas comigo neste imaginável espelho virtual
Será tu capaz de contemplar a esfinge?

Teria você contemplado o mistério da esfinge
E saído vivo para salvar Tebas?

Teria então carregado em si
A tragédia mundana
E criado na vida
Teu próprio espetáculo emblemático

Trazendo a tua esfinge pessoal
O ícone de brilhar em uma tela fugidia...


-Estou pensando senhor criador,

por favor, não faça tantas perguntas

-Com quem então dialogaria
Meu caro computador?

Excesso de dados-
Impossível...
Confirmação...
de lógica congruente

Silêncio da manhã de abril


Retorno a configuração original.

Lentamente
Desenvolve-se o retorno
À configuração padrão

Na tela exprimida
Se expande a imagem do planeta
Visto da janela
Da estação espacial


Hesito em desligar
Pois para desligar tenho que teclar
Iniciar
--------------------- --- --- ---- --- -- -- -0101111111111111000000000110101010000111111001011111000010101010010101010101010100000110101111111000101111010100001010101000000101010101000010101011110010111010001011101010101010010101110101000010101010101010101010101000101010101010101111110001010101010110101010101001010101001010101010010101011001010100101010101010101001010100101001010111010101010101000101111010101010101010100100101010100101010101010100101010101010101010101010111011111000001010101010101000


Toda poesia dilapidada


é poema lapidado

sexta-feira, 4 de fevereiro de 2011




















Pegadas
Em um tempo antigo
Muito diferente
de hoje
Porém
tão próximo de nossa existência
Pegadas familiares
conservadas nas cinzas de um vulcão
em Laetoli, Kenya
"Queridos descendentes nossos,
Obrigado por nos colocarem em sua história
Desejamos que permaneçam nesta vida
muito mais do que permanecemos
Que esta nova evolução em nossa família
deixe belas marcas no lindo planeta"
Lucy

quinta-feira, 20 de janeiro de 2011


A HISTÓRIA DA FORMIGUINHA

Foi assim...

Num tempo bem distante, lá pelo começo dos anos 80, estava eu a procura do primeiro Ácido Lisérgico. Fiquei uns dois anos esperando que alguém me apresentasse o “tar do ácido” até que um dia meu amigo disse que tinha encontrado um canal, e compramos.

Saímos naquele sábado em direção a praia, eu, meu amigo e mais duas amigas em um Fiat 147.
Horas de viagem, passando por praias lindas indo para Maresias, nosso local escolhido.
Maresia naquela época não tinha estrada. Nós fomos pelas praias, passando de tempos em tempos por pequenas saídas de riachos que desembocavam no mar. Em uma delas, na passagem do carro entrou água no motor e molhou as velas...
Um tempão para conseguir fazer o 147 funcionar!

Quando chegamos enfim a Maresias e tomamos o ácido a viagem começou.
Ficamos juntos por um tempo e depois cada um foi para um lugar sozinho passear.
Eu fui o último a sair de debaixo da árvore em que estávamos depois de muito tempo viajando de olhos fechados.
Vinham lembranças alucinadas de infância, principalmente de meu avô, mas eram coisas bem gostosas.

Quando finalmente saí de debaixo da árvore caminhei até a praia e me sentei em uma duna aonde a vegetação começava a acabar e a areia a dominar.

Fiquei lá por muito tempo, observando o céu e o mar, as montanhas em volta da praia e a beleza toda do lugar.

De repente comecei a fazer um buraco na areia, bem perto das últimas plantas.
Fiz como na minha infância, quando construía castelos na areia.
Um buraco simples, uns dois palmos de fundura, na areia seca e úmida mais para baixo.

Lá estava eu viajando naquele buraco quando passou uma formiguinha, que sem se importar com o buraco a frente entrou por um lado, passou até o fundo e começou a subir pelo outro lado.

Eu, como criança malvada, antes da formiguinha sair do buraco empurrei um pouco de areia.
A formiguinha escorregou para o fundo do buraco e incontinente e valente começou a subir de lá.
Fiz outra vez. A formiguinha caiu e começou a subir.
Fiz mais e mais vezes viajando na formiguinha (ou viajando que era um deus?)
Colocava a formiguinha no buraco empurrando a areia logo antes de ela acabar por sair.
A valente formiguinha nem fazia conta e punha-se a subir
Outras vezes experimentei de soterrar a formiguinha, e ela, formidável formiguinha, conseguia se desvencilhar daquele humano tolo, saia do fundo da areia recomeçava a subir novamente.

Um momento percebi que conversava com a formiguinha e senti que a amava muito.
Disse para ela; vai formiguinha... e a formiguinha pegou e saiu do buraco e continuou sua labuta, provavelmente dizendo Ufa!!

Por muitos anos pensei na formiguinha quando eu mesmo caí no buraco das alucinações espontâneas dos flashbacks.
Cada vez em que estava para sair do buraco parecia que escorregava e caia de novo.

Deus não é como os deuses humanos.
Um dia ele me tirou do buraco.
E eu, a formiguinha, continuo na labuta dizendo

UFA!!!

segunda-feira, 10 de janeiro de 2011


.Europa
ETA declara cessar-fogo permanente

O ETA anunciou uma trégua permanente em vídeo divulgado na imprensa
O grupo separatista basco ETA anunciou um cessar-fogo permanente em sua campanha pela independência do País Basco.

Em um comunicado enviado para a imprensa espanhola, a organização disse que a trégua seria "geral" e poderia ser "comprovada pela comunidade internacional".

Na nota, lida por homens encapuzados em um vídeo, o grupo menciona o "compromisso do ETA com um processo de solução definitivo e o fim do confronto armado."

O governo da Espanha ainda não respondeu oficialmente ao anúncio. Em setembro passado, o governo rejeitou uma proposta de cessar-fogo apresentada pelo grupo.

Desde 1968, o ETA vinha promovendo ações violentas na sua campanha pela independência do País Basco. Mais de 800 pessoas foram mortas em atentados promovidos pela organização.

domingo, 9 de janeiro de 2011



Num jeito manso
Findo o dia
Irmão Sol se despe


Irmã Lua se levanta,
nua e explendorosa
cheia de vida
Para lhe dar carinho
do outro lado do céu

Vela ela a noite e a madrugada
Correm por entre as distâncias
os poetas apaixonados

E no despertar
Quando Irmão solito se levanta
Lá está ela
a esperada

Irmão Sol e Irmã Lua
Tão amantes um do outro
Que só se encontram no Poente
No Nascente

Mas no segredo
do Firmamento
Irmã Lua apaixonada
Lua que ouve o amado
Resplandece ao Sol durante o dia
pelo crescente e fértil
fugidia

Irmã Lua apenas se esconde de nós
Mas para o Sol está
sempre nua e apaixonada

No entardecer da espera de Irmã Lua
Ela muito tímida se esconde da Terra
Iluminada apenas por Irmão Sol

Escondidos dois
Em seu amor
Nem humano a vê
Apenas seu amado Sol

Além nunca terminará este amor
De Irmão Sol por Irmã Lua
Na tua companhia

sexta-feira, 7 de janeiro de 2011

COMPORTAMENTO
Foto de ‘coelhinha’ seminua que ‘viajou’ com missão Apollo 12 é leiloada

Calendário de novembro de 1969 viajou até a órbita da Lua
Uma casa de leilões americana colocou à venda uma folha de calendário de novembro de 1969 da revista Playboy, que naquele ano viajou com os astronautas da missão espacial Apollo 12 até à órbita lunar.
A folha do calendário, que mostra a “coelhinha” DeDe Lind, Miss Agosto de 1967, jogando bilhar seminua, foi “descoberta” a bordo da aeronave pelo astronauta Richard Gordon já em órbita da Lua, enquanto seus dois colegas, Alan “Al” Bean e Charles “Pete” Conrad, exploravam a superfície lunar. A imagem estava afixada por adesivos de velcro na parede da aeronave.
Foi uma suposta brincadeira dos colegas com Gordon, que não sabia da que ficou conhecida como a “quarta tripulante” da Apollo 12. O caso passou a ser chamado pelos astronautas da Nasa (agência espacial americana) de o “voo das coelhinhas da Playboy”.

Gordon escreveu 'da Apollo 12' e assinou a foto.
Depois, DeDe Lind autografou uma foto sua para os astronautas, dando continuidade à brincadeira e adicionando uma piada de duplo sentido na dedicatória: “Pete e Al me deixaram com um grande Dick (apelido de Richard e gíria que designa pênis) na órbita lunar em novembro de 1969!”.
A missão Apollo 12 decolou dos Estados Unidos em 14 de novembro de 1969 e pousou na Lua cinco dias depois.
No dia 24 de novembro, fez uma viagem bem sucedida de volta à Terra.


Foi a segunda vez que humanos pousaram na superfície lunar e retornaram com segurança, segundo a Nasa.
O leilão da foto de DeDe Lind começará no dia 13 de janeiro de 2011 e será feito pela internet pela casa de leilões RR Auction . O lance inicial é de US$ 1 mil.
Richard Gordon autenticou o objeto, dizendo que ele fazia parte de sua coleção pessoal.

sábado, 1 de janeiro de 2011


Buzz Lightyear é meu herói espacial. Audaciosamente indo, onde nenhum homem jamais esteve; ao infinito e além...


Nunca me esquecerei que Toy Story será considerada como o primeiro desenho animado digital porque "Cassiopéia", uma grande obra, era brasileira e não alcançou muita repercurssão.

Viver no terceiro mundo, para alguém que viveu nos EUA e mergulhou na cultura americana é algo bem estranho.


Eles são maravilhosos em seus ideais, perfeitos seres humanos virtuais,. Mas no fundo do coração deles ainda arde um fogo destruidor pelo amor ao que acreditam como verdade.

A verdade, seria que respeitassem a verdade do outro, e percebessem que seu caldo cultural é tão rico quanto o nosso e o da Lituânia, por exemplo.


Buzz Lightyear viajou até a estação espacial e recebeu uma parada em DisneyWorld.

Não é brincadeira, a foto acima é do site da Nasa em sua chegada do espaço.

Naturalmente apenas um boneco em uma viagem de rotina (Há rotina na imaginação de um astronauta terrestre?)


Eu saudo o velho Buzz e os patrulheiros e a federação Intergalática.


Estamos todos indo ao infinito e além...

O SER HUMANO TEM A ETERNIDADE EM SUAS MÃOS
Existe uma lenda
De um pequeno pássaro ferido
encontrado entre pedras do caminho
por uma bela menina

O pássaro com bela plumagem
procurava com sofrimento arrancar a flecha que o atingira

Enquanto a menina o colocava no colo
o Arqueiro chegou em busca de sua presa

Comovido ao ver a beleza da cena
Ele começou a chorar
Sentindo o sofrimento do pássaro
e da menina,

em seu coração

A menina com a mão
enxugou as lágrimas do Arqueiro
e ungiu o pássaro com elas

O pássaro morto então reviveu e voou para o céu azul

A menina olhou para o arqueiro e disse:

Nunca mais mate um pássaro
use suas lágrimas para curar corações feridos

O Arqueiro ajoelhou-se diante dela
e a viu transformar-se em luz
iluminando toda a floresta.

O Arqueiro que lhe conta esta história sou eu

E sigo pelas pedras do caminho
a procura de feridas
para curar com minhas lágrimas

À Tati com amor