Google+ Badge

terça-feira, 24 de janeiro de 2012

SOLIDÃO DE UMA NAÇÃO











Área ocupada em SP é três vezes maior que o Vaticano







Com uma área 1,3 milhão de metros quadrados - equivalente a três vezes a área total do Vaticano – o Pinheirinho, em São José dos Campos, a 93 km de São Paulo, era o endereço de 6 mil pessoas até o último domingo.

Ocupado há quase uma década, o terreno na periferia da rica cidade do Vale do Paraíba foi palco de um enfrentamento entre policiais e moradores, durante uma operação para reintegração de posse.

Segundo a PM, 1.600 pessoas já foram retiradas do Pinheirinho.

O fotógrafo Flavio Forner fotografou o local antes e depois da operação.



FONTE BBC BRASIL

O CRISTO PARA NOSSOS DIAS




Fonte: BBC Brasil







CLOSE ENCOUNTERS OF THE THIRD KIND
















Cientistas falam sobre o que fazer quando os ETs chegarem
Da BBC News - 17/01/2012



É provável que a notícia de um contato feito por ETs fosse divulgada por um grupo de cientistas que monitora o espaço, o SETI.[Imagem: BBC]
Buscadores de vida

Há décadas mandamos sinais, deliberados ou acidentais ao espaço, além de procurar por emissões de sinais por alienígenas.

Mas qual seria o plano caso um dia ouvíssemos alguma coisa?

Se isso acontecer, é mais provável que os cientistas da SETI sigla em inglês para Search for Extra-Terrestrial Intelligence, ou Busca por Inteligência Extraterrestre) percebam primeiro os sinais.

Este grupo de cerca de 20 cientistas espalhados pelo mundo monitora constantemente o Universo na esperança de captar comunicações alienígenas, geralmente contando com recursos parcos e sendo ridicularizados.

Eles buscam por alguma coisa estranha ou diferente por entre os sinais dos maiores telescópios do mundo.

A SETI começou com um único homem com um telescópio em 1959. Hoje computadores são usados para vasculhar o tráfego de ondas de rádio, enviando para astrônomos possíveis indícios de vida alienígena.

Comunicação alienígena

Mas o que aconteceria caso fosse detectada uma comprovada comunicação alienígena?

Teorias da conspiração defendem que os governos impediriam a divulgação desta informação, mas o principal astrônomo da SETI, Seth Shostak, pensa diferente.

"A ideia de que os governantes iriam manter isso em segredo para evitar pânico não faz sentido. A História mostra que não é assim", diz ele.

"No início do século 20 muitos acreditavam que existiam canais em Marte, uma vasta civilização hidráulica a apenas 50 milhões de km da Terra. A população dizia só que era coisa de marcianos, sem entrar em pânico," propõe.

A primeira coisa a ser feita caso os computadores detectem algo seria confirmar a autenticidade com outros telescópios, o que levaria alguns dias.

"Neste período você pode ter certeza de que muita gente falaria sobre isso em e-mails ou blogs... o assunto não ficaria secreto," diz Shostak.

É provável portanto que a notícia de um contato alienígena fosse divulgada primeiro por um astrônomo da SETI.

Quem é o líder?

Em 1997, um "alarme falso" mostrou a reação provável.

"Observamos este sinal durante todo o dia e a noite toda, aguardando alguém de algum governo se manifestar", diz Shostak. "Nem mesmo políticos locais telefonaram. Os únicos interessados eram da imprensa."

Não há nenhum plano de ação detalhando quais organismos internacionais devem ser informados primeiro.

"O protocolo é simplesmente fazer o anúncio", diz Shostak.

As Nações Unidas têm um pequeno escritório em Viena chamado Office for Outer Space Affairs (UNOOSA), ou Escritório para Assuntos do Espaço Sideral. Os cientistas da SETI tentam sem sucesso há anos estabelecer um plano comum de ação.

Perguntados o que aconteceria no caso de mensagem alienígena, a UNOOSA respondeu que seu mandato atual "não inclui nada referente à questão colocada".

Portanto, o planejamento fica a cargo de pessoas como Paul Davies, da Universidade do Arizona, que lidera a equipe de pós-detecção da SETI.



As conchas Nautilus são relacionadas com a sequência Fibonacci, representantes naturais de uma "beleza matemática". [Imagem: BBC]Palavra de ET

Mas não sabemos que tipo de informação, se é que existirá alguma, estaria contido em algum sinal. E sua decodificação poderia levar anos ou mesmo décadas.

E o que eles poderiam dizer? Poderia ser uma saudação simples, como um "Olá terráqueos, estamos aqui", diz Davies.

"Poderia ser algo totalmente transformador e revolucionário, algo simples como a forma de controlar o processo de fusão nuclear... que resolveria a crise energética mundial."

"Por causa do grande tempo que levariam as viagens de um ponto muitos e muitos anos-luz de distância, teríamos tempo o bastante para refletir sobre as consequências de nos engajar em um diálogo nessa escala lenta."

O que responder?

Pergunte a qualquer um na comunidade SETI se deveríamos responder e o consenso é de que sim. Mas o que dizer e como é motivo de discórdia.

"Quando lidamos com uma mente alienígena - o que eles poderiam apreciar, o que eles considerariam interessante, belo ou feio - será muito relacionado com o desenho de sua arquitetura neurológica que realmente não podemos adivinhar", diz Davies.

"Portanto, a única coisa que devemos ter em comum pode ser no terreno da matemática e da física."

De volta ao instituto SETI na Califórnia, o diretor de composição de mensagens interestelares, Doug Vakoch, concorda.

"É difícil entender como alguém poderia construir um transmissor de rádio se não souber que dois mais dois são quatro", diz ele.

"Mas como usamos este conhecimento em comum para comunicar algo que é mais idiossincrático para outras espécies? Como diremos a eles como é realmente ser humano?"



Uma característica humana como o altruísmo poderia ser enviada para alienígenas. [Imagem: BBC]Transmitir a internet por laser

Alguns cientistas da SETI argumentam que, uma vez que saibamos para onde mandar um e-mail interestelar, poderíamos simplesmente enviar todo o conteúdo da internet por meio de um raio de laser.

Alienígenas teriam então informação bastante para construir padrões, identificar linguagens e ver imagens, de todos os tipos, sobre o que é ser humano.

Mas Vakoch acredita que mandar um "carregamento de dados digitais" seria uma aproximação "feia". "Deve existir algo mais elegante para dizer sobre nós mesmos do que isso".

Poderíamos expressar nossa ideia de beleza, embora de forma simples, ao enviar um sinal representando a sequência Fibonacci, na qual cada número é a soma dos dois anteriores: um, dois, três, cinco, oito, 13 e assim por diante.

Em uma sequência vista em galáxias espirais e como algumas conchas nautilus crescem, uma constante algébrica conhecida como Proporção Áurea, que é esteticamente prazerosa e usada na arquitetura clássica.

Vakoch também espera mostrar características possivelmente idiossincráticas como o altruísmo. Para isto, ele preparou uma animação simples de uma pessoa ajudando outra a subir um penhasco.

Auto-reflexão

Mas qualquer mensagem precisaria de consenso internacional antes de ser enviada, coisa que só seria atingida por meio de negociações se um sinal realmente for captado.

Até lá, ele pretende continuar pensando no que dizer em um microfone interestelar.

"Talvez mais importante do que se comunicar com extraterrestres, este exercício de compor mensagens é uma oportunidade para refletir sobre nós mesmos, sobre com o que nos importamos e como expressamos o que é importante para nós", diz ele.

sexta-feira, 20 de janeiro de 2012

Descobri !
















Descobri que num planeta louco

amo muito pouco








Deveria rir mais


para não andar mais




E descobrir verso


neste universo



Achei engraçado

mas não ri

Deveria estar perturbado

por estar aqui






De que maneira esconder-me da luz?


quando a luz foge da tela


quimera



Beatífica atriz


que nos diz


que o paraíso é onde se esconde


muito longe


a chave e o pergaminho


de um caminho










Brincadeira



de letra


é só ir ligando

ponto a ponto

deslindando alinha



Confia em mim


cada quebra cabeça


tem fim










Miolo mole


suco de miolo


Não me importo

já me vi assim






Tanto importa a porta



que o caminho chega já






Descobri sem destroçar


sem quebrar linha


só fiando e fiando


Tricotando









Não é um poema


tem pena


por favor






É so brincar com letras


olhar para frente


e dizer



GENTE!









quinta-feira, 19 de janeiro de 2012

TODAY







Encontro o Cristo


Assisto a isto

sexta-feira, 13 de janeiro de 2012

quinta-feira, 12 de janeiro de 2012

E é só isto, mais nada.

Quantum


Deus é o experimentador
e o observador
da experiência quântica

Quando Ele observa
Ele é insento de julgamento
mas a essência é o amor

A definição do estado quântico
depende então
da consciência do experimentado
tanto ser interior
quanto exterior

Pois a consciência é Cósmica
e universal

Meaning state of mind

É o estado de conscientização
da experiência quântica

quarta-feira, 11 de janeiro de 2012




06 Junho 2011

A conversa entre Jesus e o Diabo

Um dia Satanás e Jesus estavam conversando.Satanás acabava de ir ao Jardim do Éden, e estava fazendo graça e rindo, dizendo:-Sim senhor. Acabo de apoderar do mundo, cheio de gente lá embaixo. Euarmei a eles uma armadilha, e usei uma isca que sabia que não poderiamresistir. Caíram todos!- O que vai fazer com eles? Perguntou Jesus.- Ah, vou me divertir com eles. Respondeu Satanás. Vou ensiná-los como secasar e se divorciar, como odiar e abusar um do outro, a beber e fumar,e, é claro, os ensinarei a inventar armas e bombas para que se destruamentre si. Realmente vou me divertir!- E o que farás quando se cansar deles? - Perguntou Jesus.- Ah, os matarei. Disse Satanás com os olhos cheios de ódio e orgulho.- Quanto quer por eles? Perguntou Jesus.- Ah, você não quer essa gente. Eles não são bons. Porque os salvaria? Você os salva e eles te odeiam.Vão cuspir em seu rosto, vão te maldizer e te matarão. Você não quer essa gente!- Quanto? Perguntou novamente Jesus.Satanás olhou para Jesus e sarcasticamente respondeu:- Todo o seu sangue, suas lágrimas e sua vida.Jesus Disse:- FEITO!E assim foi pago o preço.Voce se envergonha de falar de Jesus ?EU NÃO ME ENVERGONHO DE CRISTO, E QUERO QUE TODO MUNDOSAIBA QUE O AMO COM TODO MEU CORAÇÃO, AQUELE QUE MORREU POR MIM, NAQUELACRUZ? JESUS É MEU FIEL E VERDADEIRO AMIGO E TENHA CERTEZA É SEU TAMBÉM. DEUS ABENÇOE SUA VIDA.
Postado por às 11:05

sexta-feira, 6 de janeiro de 2012

Aquárius




Importante saber




em Aquárius




se desejo




uma cultura




de algas




ou peixes








Se quero algas




tiro peixes








Se quero peixes




tiro algas








Se quero




peixes e algas




cuido com amor




para que nem um




nem outro




pereça

Escrita





Uma mensagem

abrindo-se




Flor de Lótus

de papel



Em um lago

sereno

de amor

quinta-feira, 5 de janeiro de 2012

Não julgue


Ele diz ter matado 255 pessoas no Iraque e garante que não se arrepende.
"A lenda", "o exterminador" e "o diabo de Ramadi" são apenas algumas alcunhas pelas quais o atirador de elite reformado Chris Kyle ficou conhecido entre os colegas.
Notícias relacionadas
Em números: Guerra no Iraque custou bilhões e deixou milhares de mortos
Iraque tem escalada de tensões após a saída dos Estados Unidos
EUA retiram seus últimos soldados do Iraque

Tópicos relacionados
Internacional,
iraque,
Estados Unidos
Entre 1999 e 2009, o então oficial do pelotão Charlie, terceiro grupo da força Seal da Marinha americana, construiu para si uma temida reputação como o atirador mais letal da história da corporação.
Oficialmente, o Pentágono registra 150 mortes no seu nome – o que em si já representa um recorde em relação ao anterior, de 109, até então mantido por um atirador durante a Guerra do Vietnã.
Entretanto, Kyle afirma que sua contagem é maior. Só na segunda batalha de Fallujah, no fim de 2004, diz, tirou a vida de 40 inimigos.
Em um livro da editora HarperCollins que chega às livrarias americanas, American Sniper - "Atirador de elite americano", em uma tradução livre e literal – ele relata com detalhes o seu trabalho em quatro viagens de combate ao Iraque.
"Adorei o que fiz. Ainda adoro. Se as circunstâncias fossem diferentes – se minha família não precisasse de mim – eu voltaria em um piscar de olhos", escreve o atirador.
"Não estou mentindo nem exagerando quando digo que foi divertido."
'Dever'
A narrativa é clara – "crua", até, como definiu um crítico literário americano – e deixa entrever a complexa e tensa psicologia da guerra.
Kyle relata como ao longo da carreira deixou de hesitar ao mirar nas suas vítimas e passou a desempenhar melhor suas funções sob fogo cruzado.
Sua companhia Charlie foi uma das primeiras a desembarcar na Península de al-Faw no início da chamada Operação Liberdade, iniciada em 20 de março de 2003 pelo então presidente dos EUA, George W. Bush.
No fim daquele mês, na área de Nasiyria, os oficiais Seal aguardavam em um povoado iraquiano a chegada dos marines, fuzileiros navais americanos, que se aproximavam.
No topo de um edifício, Kyle conta que ele e outros oficiais de seu pelotão tinham como objetivo oferecer cobertura para os fuzileiros.
Quase todos os moradores se trancaram em suas casas, de onde assistiam a tudo por detrás das cortinas. Apenas uma mulher e uma ou outra criança se movimentavam na rua.
Quando os marines se encontravam a certa distância, a mulher tirou um objeto amarelado de sua bolsa e caminhou em direção aos militares.
"É uma granada! Uma granada chinesa", disse o chefe de Kyle. "Atire."
Ao vê-lo hesitar, o chefe repetiu: "Atire!"
Kyle puxou o gatilho duas vezes, a "primeira e única vez" em que matou uma pessoa no Iraque que não fosse homem e combatente.
"Era meu dever. Não me arrependo", escreve. "Meus tiros salvaram vários americanos cujas vidas claramente valiam mais que o daquela mulher de alma distorcida."
"Posso me colocar diante de Deus com uma consciência limpa em relação ao meu trabalho."
Ódio

Kyle faz mira durante a segunda Batalha de Fallujah, onde matou 40
O americano do Texas, que aprendeu com o pai a atirar ainda na juventude e virou um boiadeiro de destaque, se converteu em mestre em uma das funções mais controversas em conflitos armados.
Na 2ª Guerra Mundial, atiradores de elite eram considerados assassinos em série. O recordista mundial de mortes é um atirador finlandês que naquele conflito tirou 475 vidas russas durante a invasão da Finlândia pela então União Soviética.
Na guerra contemporânea, onde a precisão é valiosa, esses azes da mira ganharam status especial. Kyle se orgulha de ter matado um homem a uma distância de 2.100 metros no subúrbio xiita de Sadr City, nos arredores de Bagdá, em 2008. "Deus soprou aquela bala que o atingiu", escreve.
O recorde mundial nesse quesito é mantido por um atirador britânico que alvejou um inimigo a quase 2,5 quilômetros no Afeganistão em 2009.
Assassinatos a tiro cometidos por sociopatas e psicopatas – como o de Washington, em 2002, ou da ilha de Utoeya, na Noruega, no ano passado – reforçam uma imagem de frieza desses profissionais.
Entretanto o que as páginas de Washington Sniper revelam com candura é um ódio profundo que Kyle nutriu pelo Iraque ("o lugar fedia como um esgoto – o fedor do Iraque é algo a que nunca me acostumei") e por seus inimigos.
"Verdadeiramente, profundamente odeio o mal que aquela mulher (sua primeira vítima) possuía. Odeio até hoje", escreve o militar.
"Mal selvagem, desprezível. É isso que estávamos combatendo no Iraque. É por isso que muitas pessoas, incluindo eu, chamavam os inimigos de 'selvagens'."
'Diabo'

Kyle disse que deixou o Iraque 'para salvar o casamento', mas tem saudades
As quatro participações de Kyle em combates lhe renderam prestígio e fama. Os insurgentes iraquianos o batizaram de al-Shaitan ("o diabo") e colocaram, em um sentido inclusive literal, a sua cabeça a prêmio.
O militar diz que sua fama de matador mais eficiente da história das Forças não é de grande importância.
"O número não é importante para mim. Apenas queria ter matado mais gente. Não para poder me gabar, mas porque acho que o mundo é um lugar melhor sem selvagens à solta tirando vidas americanas."
Reformado de sua função em 2009, ele hoje vive no Texas, onde é diretor de uma empresa que presta serviços para as Forças Armadas americanas, treinando atiradores de elite.

Fonte BBC

quarta-feira, 4 de janeiro de 2012



Há alguma coisa em comum acontecendo.
Penso que a data de 2012 é relevante.
Imagine que, mesmo que não seja a data específica,
criou-se um "campo" para a data cósmica de 2012.

O fato de termos o 22/12/12 a frente
e o fato de isto estar na mídia global
cria um sentimento de antecipação.

Estamos no fim de uma era
Isto é magnífico e assustador.

Nas diversas outras encarnações
entendemos que previsivelmente haveria um final,
um termo para o completar do ciclo
O fim do ciclo não implica o fim da vida
Implica na mudança substantiva da vida

a substância
a matéria
se transmuta
pela força de novas energias
como a água e o fogo
mais o vento

O
Huá ,
o espírito.

Terra se transforma na base
Ar em volta abre espaço para aos galhos
e as flores
e os frutos

Estamos na nova era
E a era cristã acabou
Mas o Cristo não

Ela trás muita coisa ainda a ser resgatada
Algo que imaginamos da nossa forma
como o retorno do Cristo

Estamos preparados para isto

Como ele virá só o Pai sabe
mas Ele virá.

O Avatar já está entre nós.




Escrito abaixo por Leonardo Boff


2012: ano de resistência e de resiliência
03/01/2012

Os cenários da situação da humanidade, especialmente nos países centrais, são perturbadores. As crises escondem grande padecimento humano, especialmente dos mais vulneráveis dos quais quase ninguém fala.Face a esta situação devemos resistir e viver a resiliência, vale dizer, aquela atitude de enfrentar com destemor os problemas, dar a volta por cima e aprender dos revezes da vida, pessoal e coletiva.Isso se impõe se a crise geral atingir também nosso pais, o que não é impossível. O importante é não se resignar mas manter a vontade de mudar e crescer. Neste contexto, lembrei-me de um mito antigo da área mediterrânea da Europa por mim já referido em outros escritos.De tempos em tempos, reza o mito, a águia, como a fênix egípcia, se renova totalmente. Ela voa cada vez mais alto até chegar próxima ao sol. Então as penas se incendeiam e ela toda começa a arder. Quando chega a este ponto, se precipita do céu e se lança qual flecha nas águas frias do lago. Através desta experiência de fogo e de água, a velha águia rejuvenesce totalmente. Volta a ter penas novas, garras afiadas, olhos penetrantes e o vigor da juventude. Seguramente este mito subjaz ao salmo 103 onde se diz:”O Senhor faz com que minha juventude se renove como uma águia”.Fogo e água são opostos. Mas quando unidos, se fazem poderosos símbolos de transformação. Segundo a psicologia do profundo de C. G. Jung, o fogo simboliza o céu, a consciência e as dimensões masculinas no homem e na mulher. A água, ao contrário, a terra, o inconsciente e as dimensões femininas no homem e na mulher. Passar pelo fogo e pela água significa, portanto, integrar em si os opostos e crescer na identidade pessoal. Ninguém ao passar pelo fogo ou pela água permanece intocado. Ou sucumbe ou se transfigura, porque a água lava e o fogo purifica. A água nos faz pensar também nas grandes enchentes que temos assistido, estarrecidos, em janeiro de 2011 nas cidades serranas do Estado do Rio, especificamente na minha na qual vivo, Petrópolis. Assistimos aqui a um verdadeiro tsunami que carregou tudo que estava pela frente, matando centenas de pessoas e deixando um sem número de desabrigados. São tragédias, evitáveis mas que acontecem e que devemos enfrentá-las com coragem. O fogo nos faz imaginar as fornalhas que queimam e acrisolam tudo o que não é essencial, deixando ouro ou o ferro puros. São as notórias crises existenciais. Ao fazermos esta travessia dolorosa e purificadora, deixamos aflorar o nosso eu profundo. Então amadurecemos para aquilo que é autenticamente humano. Quem recebe o batismo de fogo e de água rejuvenesce como a águia do mito antigo.Mas indo diretamente ao assunto: que significa concretamente rejuvenescer como águia? Significa entregar à morte tudo aquilo que de velho existe em nós para que o novo possa irromper e ser integrado. O velho em nós são os hábitos e as atitudes que não nos engrandecem, como a falta de solidariedade para com os pobres, as palavras duras para com os familiares, a vontade de ter razão em tudo, o descuido para com o lixo, o desperdício da água e nossa surdez face ao que a natureza nos quer dizer. Tudo isso deve ser entregue à morte para podermos inaugurar uma forma sustentada de convivência entre os humanos e com os demais seres da criação. Numa palavra, significa morrer para ressuscitar.Rejuvenescer como águia significa também desprender-se de coisas que um dia foram boas e de idéias que foram luminosas mas que lentamente se tornaram ultrapassadas e incapazes de inspirar o caminho da vida.Rejuvenescer como águia significa ter coragem para recomeçar e estar sempre aberto a escutar, a aprender e a revisar. Em outras palavras, viver concretamente a resiliência. Não é isso que nos propomos cada ano?Que o ano de 2012 que acaba de se inaugurar, seja oportunidade de perguntar o quanto de galinha existe em nós que não quer outra coisa senão ciscar o chão ou o quanto de águia ainda há em nós, disposta a rejuvenescer, a desenvolver resiliência e a confrontar-se corajosamente com os tropeços e as crises da vida.